Marisa Riscalla Madi

48 anos - Médica

Fico procurando os motivos que desencadearam minhas crises e não acho nenhuma história trágica. Olho minha vida, minhas condições, as oportunidades que tive e tenho e a velha e boa frase já muito ouvida vem “você tem tudo, por que está triste?”. E a sequência disso é sentir culpa por se sentir triste. Mas essa tal de depressão ronda o tempo todo, na espreita, esperando que eu baixe a guarda para invadir tudo e me paralisar. Endógena, forte componente genético, me resta buscar autoconhecimento e continuar montando meu arsenal de armas e armaduras contra ela. Tento entender ainda, no Próximo Passo, qual a arma eficaz, pois me sinto bem! Não sei se é a dança, as torções, extensões e contenções; se as relações em construção, a execução de um projeto e o vislumbrar de uma realização a ser cumprida. E assim vou experimentando da vida o que a vida vem me oferecendo, sem desperdiçar nenhuma oportunidade de me conhecer um pouco mais. E inquieta pelas pequenas descobertas.

Voltar