Simone Rosenthal

48 anos - Jornalista

Tive episódios de depressão em diferentes fases da vida, mas algumas rupturas, principalmente perdas recentes, impactaram fortemente a minha capacidade de resiliência. Busquei formas de me manter inteira, não desmoronar e dar conta das demandas da vida. Mas por dentro sentia-me fragmentada, impotente. Guardava uma forte recordação de conexão e alegria que vivenciei quando dançava, mas isso fazia parte de um passado distante e improvável. Fiquei sabendo por acaso do projeto Próximo Passo. A primeira alegria veio ao saber que fui selecionada. Mas durante o processo, vieram as dificuldades: falta de tempo, cansaço, sabotagens mil. Mas a vontade de me dar essa oportunidade foi maior. Aos poucos, meu corpo foi despertando, minha presença e disposição aumentando. Passei a perceber potenciais que desconhecia. A dança é realmente transformadora. Agora, sinto-me mais inteira e fortalecida para dar o próximo passo, que certamente será mais vibrante, com mais cores. O caminho é longo, intenso, mas a vontade de percorrê-lo é grande.

Voltar